Maternidade em tempos de quarentena: Covid 19

Em tempos sombrios de pandemia mundial do codiv 19 muitas coisas mudam, se desestruturam. E, diante do caos desta situação, eu te faço um convite ousado: vamos refletir mais profundamente sobre isso?

Claro, sei que a vida mudou radicalmente, as demandas aumentaram e está tudo uma loucura! Afinal, o medo bate à porta, a casa e as crianças pedem atenção e o chefe não quer saber de diminuir a produtividade por conta das demandas do lar! Neste cenário, tudo ficou em suspenso e por mais que as pessoas queiram fingir que nada está acontecendo, está todo mundo sem saber de onde o perigo virá e onde é que tudo isso vai dar!

Desta forma, ficamos ativados no medo, cheios de ansiedade e beirando ataques de pânico. Isto porque, o grande convite deste vírus é mostrar para a humanidade que nosso controle sobre as coisas é ilusório! Por maior que seja nossa ganância e prepotência, somos filhos da natureza e, ainda que seja somente uma criatura microscópica, ela ainda pode, de repente, destruir tudo ao que, ilusoriamente, nos apegamos!

Mas, calma! Este artigo é para dar um fôlego das más notícias e trazer palavras de reflexão para que usemos este momento em nosso favor! Vamos começar pelo mais importante?!

O que as crianças NÃO precisam!

Vale deixar claro que as crianças NÃO precisam assistir TV ou mesmo outras telas com notícias sensacionalistas, disseminando o pânico de forma ainda pior que o vírus! Desta maneira, vale a pena usar o autocontrole para tentar conversar com as crianças, reforçando a importância da quarentena para nos protegermos de uma “gripe muito forte”. Neste ponto, vale frisar que estou apenas adaptando o que está acontecendo a algo que as crianças possam compreender, ao menos, é assim que estou trabalhando com minha filha de quase 4 anos.

Outro ponto a ser ressaltado é que as crianças NÃO precisam ser distraídas de forma aleatória, sentindo que queremos nos livrar dela de qualquer forma. Claro, eu sei que nem sempre estamos emocionalmente disponíveis para lidar com nossos filhos. Neste período de quarentena, este desafio é ainda maior dada a restrição de contatos e a necessidade de ficar dentro de casa! Mas, é fato, as crianças NÃO precisam se sentir um estorvo em nossas vidas, aquele ser que sempre atrapalha o trabalho da mamãe ou do papai. Ou seja, acredito que todos nós temos memórias de rejeição e inadequação e elas doem bastante, que tal tentarmos trabalhar a necessidade de concentração de uma forma mais leve?!

Sob este prisma do que as crianças NÃO precisam, vale lembrar que elas não têm capacidade emocional para entender a seriedade da situação. Por isso, é importante que nós adultos cuidemos dos hábitos de higiene das crianças, da casa e trabalhemos isso com elas de forma lúdica e gentil! Claro, neste cenário de pânico, encontrar esta paciência parece algo ilusório, mas agora vamos cuidar dos adultos!

O que mães e pais NÃO precisam!

Neste momento de pane é preciso colocar a máscara de oxigênio para raciocinar com calma, estratégia e muita paciência! Por isso, o que pais e mães NÃO precisam é ficar enterrados nos noticiários, contabilizando contaminações e óbitos! Afinal, ficar mergulhado nas tragédias não vai proteger sua família, nem amenizar os desastres lá fora! Mas, certamente, vai esgotar toda a sua energia e paciência com algo que, simplesmente, está fora de nosso controle! Portanto, foque no que realmente está sob o seu domínio, foque no que é possível fazer dentro de sua casa e com as pessoas que ama!

Desta maneira, outra coisa que mães e pais NÃO precisam é ficar com o rosto colado em redes sociais, disseminando o pânico através de fake news. Ou mesmo encaminhando e compartilhando piadas de mau gosto por conta de um senso de humor duvidoso! Além de ser tóxico para si mesmo e para o mundo, já bastante poluído, isso é outra coisa que rouba sua energia num momento em que ela é vital para sua sanidade mental e emocional!

Outro item que mães e pais também NÃO precisam é se preocupar com milhões de atividades didáticas para fazer em casa! De forma muito inusitada, li a mensagem de uma mãe com medo de não mandar o filho para a escola e isso atrapalhar o seu processo de alfabetização! Meu Deus, em que ponto do caminho pegamos o atalho errado? Afinal, será tão importante o desenvolvimento intelectual que dispense outros cuidados? Quanta necessidade de entulhar as crianças de conhecimentos, tantas vezes, desnecessários e inúteis na vida prática!

Qual o convite do momento?

Para além das fake news, do pânico pela escassez e morte, do medo da doença, o convite é para olharmos para nossa vida, nossas escolhas e sonhos! Por isso, te convido a assistir o vídeo Carta do COVID19 para a Humanidade

O momento pede sim reclusão e leveza, bem como criatividade e disponibilidade emocional. Assim, o convite é para reavaliarmos nossa trajetória, nossos valores e, principalmente, nossa família. Isto significa, na minha ótica, reavaliarmos a forma como estamos cuidando de nós mesmos e das pessoas que amamos!

Sabe aquele ano sabático que muita gente gostaria de tirar e não consegue? Que tal encarar a quarentena como um período para reavaliar a vida, destralhar aquela gaveta, rever a educação dos filhos, encontrar tempo para repensar a relação com o marido. Ah, e mais importante ainda, que tal rever como estamos lidando com a gente mesmo? Estamos nos impondo muitas obrigações ou ainda encontramos espaço para o prazer, aquele simples e genuíno como de um bebê que está descobrindo o sabor de uma fruta?

A partir desta perspectiva, a quarentena pode ser produtivamente aproveitada para rever nossas relações conosco e com quem amamos! Todos nós precisamos de uma pausa e que tal aproveitar este momento para vibrar na suficiência!? Ou seja, desfrutar o que temos no momento ao invés de lamentar o que perdemos ou ter ansiedade pelo que virá depois disso? A vida é aqui e agora!

O que realmente TODOS nós precisamos!

Neste momento tão delicado, portanto, ouso dizer que todos nós precisamos: PARAR! E não é como nas férias em que usamos o tempo para nos distrair! Esta sociedade tecnológica já nos distrai demais! Por isso, o convite é realmente para PARAR, SE AQUIETAR e dar uma chance para o coração falar! Há quanto tempo perdemos este contato com o coração ou esta conexão profunda!?

Este é um momento que pede Fé, seja ela em qual forma se manifestar! Por isso, todos nós precisamos nutrir dentro de nós este sentido em algo maior, mais profundo do que o piloto automático cotidiano! Então, o momento pede SENTIDO, rituais de fé, de celebração da vida, de autocuidado e cuidado com o outro! Desta forma, é preciso voltar a olhar para a vida com coragem, ou seja, a partir do coração!

Portanto, TODOS nós precisamos lembrar que “tudo passa!” e este momento um dia será lembrado como um marco. Que seja um marco de um momento em que a Terra parou e as pessoas reavaliaram as rotas de sua vida, suas ações e como tudo se transformou! Desta maneira, o momento pede amor, nutrição emocional interna, da família, da casa… Paradoxalmente, através do isolamento temos a oportunidade de olhar para o que verdadeiramente importa em nossa vida e como temos tratado tudo isso!

Certamente, é o momento para fortalecer vínculos emocionais e lembrar que as crianças estão descobrindo o mundo e isso pode e deve ser muito divertido! Então, relaxe do politicamente e didaticamente correto e encontre uma forma de se divertir com as crianças na quarentena!

Somos todos um!

Cada vez mais me convenço de que a melhor forma de cuidar do outro é através do exemplo e do transbordamento! Assim, cada vez que cuidamos de nós mesmos com amor, compaixão e responsabilidade, estamos despertando nos outros este mesmo potencial! Por isso, neste momento de quarentena aproveite para descobrir como cuidar melhor de si mesmo e das pessoas que você ama!

Ao cuidarmos de nossa saúde por amor ao invés de medo, plantamos a semente de uma cura planetária! Afinal, neste momento temos a oportunidade de perceber, através de um vírus, como estamos próximos e vulneráveis. Ou seja, independentemente de classe social, de poder, de cargo, TODOS SOMOS UM neste momento!

Assim como estamos unidos no medo, no pânico diante da morte, temos a oportunidade de nos unir pelo amor! E, esta união começa dentro de casa, na família, no autocuidado e no cuidado com quem amamos! Que unidos possamos transmutar e curar dentro de nós tudo o que criou a realidade que estamos vivendo neste momento!

Luz, Paz e Bem a todos! Gratidão pela leitura! Namastê! _/\_

 

SOBRE A AUTORA

Este texto foi escrito por Gisele Mendonça, cientista social,

mestre em sociologia, participante do Zum Zum de Mães e, principalmente, MÃE!

Tem um blog chamado Conexão Profunda, visite www.conexaoprofunda.com.br e curta a página no facebook Conexão Profunda  e siga no instagram gm_conexaoprofunda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *