Podcast Tenda Materna #4: AutoControle Com Carolinie Figueiredo

Neste episódio do PODCAST vamos bater um papo super bacana com a Atriz, mãe de dois, educadora parental e terapeuta thetaHealing @carolinie_figueiredo  !

Vamos falar sobre AUTO CONTROLE – Como manter a conexão com a gente mesmo e com nossos pequenos diante de tantos desafios?

Eu, a Maíra e a Carol vamos te contar o que fazemos para tentar manter o controle em nosso dia a dia. Uma conversa leve e gostosa na qual vamos tocar em temas importantes tais como: validar nossas emoções, rede de apoio, auto observação, questionamento mental, autocuidado, soltar o controle…

Além disso a Carol vai compartilhar várias ferramentas práticas da DISCIPLINA POSITIVA!

Te convido a entrar em nossa Tenda e mergulhar junto com a gente neste processo corajoso de buscarmos formas mais conscientes de educarmos nossos filhos….

Depois que escutar o Podcast te convido a deixar seu comentário, pergunta ou sugestão aqui embaixo! Vou adorar te escutar! 😉

Até breve!

Com carinho,

Clarissa Yakiara

4 Comments

  • Me chamo Paula, sou de São Paulo e tenho 3 crianças em casa (2 filhos e um enteado) suas idades: 2, 4 e 13. Estou tão perdida com o comportamento dos meus filhos e principalmente o meu diante deles, estou sempre cobrando menos agressividade com eles, mas eu é que estou agressiva. Estou falida como mãe! Uma recuperação de crédito seria perfeito.

  • Ana claudia disse:

    Que delícia de ouvir!!! Obrigada meninas por compartilhar tanta coisa.
    Um beijao

  • Alice Mondin disse:

    Bom dia, meninas. Acabo de ouvir. Muito enriquecedora a fala de vocês. Eu procurei ferramentas para lidar melhor comigo também depois que me tornei mãe (sem ter desejado, assim como você, Carol!) e me separei do pai do meu filho. Os desafios foram grandes, mas querer ser uma pessoa melhor, entregar meu melhor para meu filho, ser mãe mas ser feliz (e ter meus sonhos) também me incentivaram na busca de ferramentas e acabei por fazer o curso de coaching infantil. Acho que minha maior descoberta é que tudo começa quebrando nossos preconceitos, nos aceitando, nos compreendendo, evoluindo como pessoas. Ainda creio que a melhor liderança é a do exemplo. Então precisamos mesmo abolir o “faça como eu falo” ou o “eu sei o que é melhor pra você” e trocar pelo “vamos ver o que é melhor? vamos ver a opção que temos?” e nesse processo ensinar a criança a olhar para o todo, ampliar a visão além do eu. Acho que ensinar a tomar decisões é uma das coisas mais valiosas que podemos ensinar. Como tomar decisão com amor, ouvindo o outro, pensando nas consequências. Enfim. Depois que descobrimos nós mesmos e nossas fragilidades, nossos VALORES, parece que fica mais fácil compreender o comportamento das crianças e também nossas reações. Pra mim, um ponto chave foi fazer um exercício de valores, que posso compartilhar se quiserem. Se formos pessoas que mantém a serenidade em momentos difíceis, que mantém a alegria, que comunicam com amor, que têm dificuldades mas que buscam maneiras positivas de lidar com isso, é muito mais provável que nossos filhos queiram seguir nosso exemplo. E assim, possivelmente estarão em um caminho de evolução e felicidade que é o que tanto desejamos pra eles, não é mesmo?

    Ainda ficam grandes desafios que é como lidar com a interferência de pessoas que não estão alinhadas com nossa forma de educar? E ainda, como manter a calma e aplicar tudo isso que conversamos em uma situação de “correria” em que algo precisa realmente ser feito naquela hora. Acho que há passos do dia a dia que podemos fazer para minimizar essas situações emergenciais, gostaria de saber como vocês fazem.

    Sucesso pra vocês e um grande abraço.

  • Alessandra Stabile disse:

    Que delicia, ouvir vocês. Não sou mãe ainda, conheci o trabalho da Clarissa através das redes sociais(alias nem lembro como cheguei nela, provavelmente através de algum congresso ou curso on line gratuito)e agora sempre vou conhecendo novas pessoas a prendendo muito com as experiencias de vocês, e nesse post pude entender vários comportamentos meus e entender que essas coisas acontecem porque não fui acolhida de forma correta quando criança. Obrigada meninas por esse maravilhosos projeto! Que vocês tenham perseverança para criar seus filhos e formando assim uma nova geração mais conscientes de suas atitudes! Gratidão pela disponibilidade de vocês e por compartilharem seus conhecimentos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *