O Negócio desfeito

O Negócio desfeito, o plano mal feito,

O horário perdido, o livro não lido,

A louça acumulada, a proposta negada, a palavra entalada,

O jantar enlatado, o saldo,

A palavra mal dita, uma frase confusa e muito comprida,

Minha eterna tagarelice desmedida.

Cai a noite calada, o coração de repente dispara,

Lá estou eu de novo atravessando a sala

Dai me vem à cabeça, travestida de reflexão,

A auto punição:

“Quem você pensa que é? Não devia ter feito isso…

Já para seu quarto pensar!

Não devia ter dito aquilo…

Não quero nem te olhar!

Sonhos muito grandes para alguém pequena como você!

Não tinha como ser diferente, completamente sem noção,

Ainda diz que tem intuição!

Você não está vendo? O universo está te dizendo não!

Quem mandou desobedecer, que ideia louca é essa de ser você?

Quem falou que aos seus próprios caprichos deve ceder?”

Muito fácil cair na armadilha da mente treinada à base de castigo e punição

E você? Para onde vai quando comete “uma má ação”?

Vai para o castigo? Vai ajoelhar no milho?

Eu ia sim, sim senhora, sim senhor!

Mas agora estou treinando no sentido anti-horário,

Em alta velocidade, no caminho contrário

Reescrevendo o antiquado.

Assumindo a direção, desprogramando o velho padrão.

Os olhares alheios já não me impedem de tentar

Os comentários externos já não me fazem parar

Se posicionem agora para me ver passar

Sem pedir licença ou permissão à ninguém, já estou pronta para voar!

Já não me serve mais essa máscara de boa menina

Que quando erra é diminuída

Já não me cabe mais a personagem de Madalena arrependida.

Sou auto responsável pelo meu sucesso e progresso

E escolho fazer com respeito e afeto

Assim como busco atuar com minha filha

Faço também com minha criança interna pequetita:

“Vem cá comigo, pouse seus cachinhos bem no meio do meu abraço

Me conte sem medo o que aconteceu, confie em nosso laço.

Com atenção vou te escutar,

A sua dor, sua aflição vou validar

Juntas vamos traçar um plano para consertar, resolver, melhorar…

Estou aqui com você e pode apostar

Da próxima vez vamos acertar

Escute a voz da razão que escapa do meu coração

É uma bela oportunidade essa a de errar!

E quero muito ir com você para onde esse caminho nos levar.”

Sobre a AUTORA:

Vivian Pessoa, Mãe da Ive de 3 anos, Geóloga, Participante da turma 5 do Zum Zum de mães, Educadora Parental pela Positive Discipline Association.

@viviancpessoa

vivian.pessoa@globo.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *