Primavera e Você

A Primavera que acontece ao nosso redor, acontece também dentro de nós, inspira o florescer da vida.

Antes do florescer, há de ter o recolhimento e acalento do Inverno, é necessário um preparo interno, é necessário o fortalecimento do corpo e da alma. Precisamos dormir para acordar, para viver com amor e verdade, sintonizando nosso pensar, nosso sentir e nosso querer.

Eu estava dormindo e não era um sono tranquilo. Era sim daqueles que me traziam lampejos de realidade e sustos. Em muitos momentos, eu não sabia se continuava mesmo dormindo ou se já havia acordado, o fato é que eu ainda não me sentia pronta para levantar e encarar o dia, encarar a vida. Então, eu decidia virar de lado e dormir mais um pouquinho.

E, assim, eu sonhava, me aventurava em pesadelos e acordava com o coração apertado, a respiração difícil e o olhar assustado, por algumas vezes fui capaz de encontrar a minha paz antes de voltar a dormir.

Essa noite pareceu longa e, ao mesmo tempo, curta demais porque me sentia cansada, um tanto pesada. Eu poderia ter aproveitado melhor sem interrupções, poderia ter dormido direto se não fosse minha inquietação, ou já que não dormia bem, poderia ter levantando durante a madrugada e feito algo produtivo. A sensação de que estava perdendo meu tempo também me atormentava. Mesmo assim, eu seguia dormindo, porque não me sentia pronta.

Veio a luz da manhã. Era Primavera. Esse era o meu momento de acordar, ainda que desafiador, eu o reconhecia como a hora do meu despertar. Me nutri daquela luz e de tudo que ela me proporcionava. Escolhi viver.

Hoje eu reconheço a importância do sono para a que a vida aconteça em sua plenitude. Também o sono da consciência é estruturante, dura o tempo adequado para que a capacidade do acordar se desenvolva, assim como as plantas externam a sua força e determinação através da beleza das flores.

Enquanto dormia, encontrei a minha verdade e a minha paz em momentos pontuais de dor e de contato profundo com a natureza, mas apenas escolhi a vida com consciência quando o meu menino de luz chegou. Por sincronicidade, já que feitos dos mesmos elementos somos eu, você e a natureza, a Primavera renova e reforça o convite de vida e, a cada ano, me permito aceitá-lo e honrá-lo. Neste período, sinto que todo o preparo do Inverno, do sono restaurador, faz brotar muitas cores, formas, cheiros e sabores, faz ideias criarem asas, faz projetos se tornarem reais, faz a vida florescer em amor e abundância.

Sentimentos de alegria, de mais energia e vitalidade, são comuns nessa estação. E não é à toa. O milagre da vida acontece em cada um de nós. Somos parte da natureza. Somos a própria natureza. Esses sentimentos simbolizam a tendência que temos de aceitar o convite de vida, porque o nosso corpo é muito inteligente, reconhece o que nos faz bem e está sempre em busca do equilíbrio, do seu estado natural de saúde, bem estar em paz.

A Primavera chama a nossa atenção, chama a nossa presença, em um mundo de tantas distrações como o nosso, em uma sociedade tão atribulada, com tantos barulhos externos e internos. Com frequência, nos distraímos do que pensamos, das nossas necessidades e desejos. E a Primavera vem, com seu jeito cativante, nos lembrar dessa nossa conexão com a natureza. Mesmo que não estejamos atentos, a conexão existe. Se nos sintonizamos à natureza e nos comprometemos em ser quem realmente somos, a vida floresce com mais leveza, com fluidez, na nossa casa, nos ambientes que atuamos, nos nossos relacionamentos, principalmente nos relacionamentos com os nossos filhos, que nos tem como exemplos de vida, nos observam a todo instante.

A vida se nutre da simplicidade e a conexão acontece pelo sentir. Com um exercício simples de respiração consciente, podemos sentir o ar percorrendo o nosso corpo e todos os benefícios que nos proporciona. A respiração ampla melhora a nossa qualidade de vida. Beber água e sentir o seu significado – purificação, nutrição, cura – potencializa a sua ação. Sentir o amor puro, quando temos a oportunidade encantadora de convivermos com seres de luz, nossas crianças, nossos filhos, que, quando pequenos, estão fortemente conectados à essência da vida, nos mostra o caminho certo a seguir. Que tal se cada pessoa escolhesse uma maneira de deixar a sua vida melhor todo dia e colocasse isso em prática? Pode ser uma forma diferente de pensar,  um novo gesto, um novo olhar, algo simples e ao alcance hoje. Podemos nutrir a nossa vida com pequenos passos, a conquista de saúde e felicidade não está lá no fim da jornada, não é o pote de ouro no fim do arco-íris, está no próprio processo, a conquista é diária, o sucesso está em toda a extensão do arco-íris.

A Primavera chega acompanhada de luz que anuncia o florescer da alma, de chuvas que abençoam a terra, purificam nosso ser, despertam a vida e fazem germinar as sementes trazidas pelos ventos, de arco-íris que renova os sonhos, de fertilidade.

A Primavera da minha vida chegou com o meu menino de luz. Quando senti a sua existência em mim, me permiti a liberdade e me tornei responsável por ele e por mim. A pureza do seu olhar mostra a verdade que há nele e há em mim. O seu sorriso é o termômetro da leveza. O seu amor é a felicidade pura. Como anunciador da minha Primavera, João inspira a minha jornada de autoconhecimento, o meu caminho de conexão com a minha essência. Sinto o meu lugar de pertencimento. Educando e me auto-educando, busco diariamente sabedoria para guiá-lo de forma que nunca se desconecte, de forma que aproveite todas as suas primaveras com leveza e paz.

A vida só é vida se faz sentido, se faz parte de um todo, se tem um motivo para ser, se está conectada, com suas múltiplas funções, a outras vidas e outras formas. Cuidemos para que a vida cumpra a sua missão.

Vamos nos conectar cada vez mais ao movimento da vida, aos ritmos da natureza, sejam na floresta, nas ruas, no nosso lar, sejam os ritmos dos nossos pequenos, sejam os nossos ritmos internos. Esse movimento de expansão da natureza, de coragem de se expressar com bondade, delicadeza e beleza, existe também em nós. Quanto mais sintonizados com os ciclos da natureza, mais fluido se torna o viver.

O convite à vida instiga novas realizações, pede que juntemos toda a nossa bagagem física, mental, emocional e espiritual e nos lancemos ao novo. Se aceitamos o convite, nos agarramos à confiança de uma vida cada vez melhor, mais alinhada a princípios e valores, deixamos de alimentar nossos medos e saltamos, apesar deles. Permitir que a vida floresça com amor e verdade pode significar sair da zona de conforto, abandonar padrões ensinados pela sociedade, que não cabem mais nas novas escolhas, pode significar nadar contra a correnteza, ter julgamentos e críticas passando ao lado. Nesse caminho, a solidão pode se encostar e pedir para ficar, os desafios aparecem e podem intensificar questionamentos, dúvidas. Fora e dentro, existirão vozes que dizem ser loucura esse movimento e vozes que consideram ser coragem. Se seguirmos acreditando na capacidade de viver, na capacidade de florescer, ressignificando medos e desafios, o barulho externo começa a silenciar, e as vozes internas se harmonizam na frequência do amor.

Eu escolhi viver alinhada à minha verdade. Escolhi resgatar o melhor que há em mim. A decisão de florescer, o acordar da consciência traz medos, ansiedades, inseguranças, mas é libertador, é ter a certeza de que uma nova vida está disponível e é permitido (porque eu me permito) ser quem sou. Uma vez ouvi que precisamos escolher as dores que queremos em nossas vidas. Analisando com cuidado, é um ponto de vista que faz sentido. No meu caso, eu poderia escolher a dor que a minha acomodação me traria em não realizar meus sonhos, ou poderia escolher a dor de enfrentar o que viesse para conquistar a minha liberdade.

Somos criadores da nossa realidade, somos potencialmente capazes de transformar o mundo, começando pelo nosso mundo interno. Vamos cultivar a realidade que acreditamos, o mundo que queremos, vamos cultivar saúde e felicidade. Cada momento é uma oportunidade linda de fazer o bem e de espalhar o amor através de pensamentos, sentimentos e ações pequenas, mas poderosas e transformadoras. Conectar-se à natureza é acreditar na abundância, é compreender que o melhor acontecerá e, mais, surpreenderá positivamente. Quando surpreendidos, acreditamos mais, nos conectamos mais, e o Universo entende cada movimento. Está estabelecido o ciclo da realidade abundante.

É Primavera! É tempo de renovar as percepções do mundo, é tempo de expressar o ser. Que a nossa semente interna busque o Sol e floresça o amor. Que a Primavera seja exuberante de realizações e que os desafios nos enriqueçam.

O contrário do medo não é coragem, mas amor (Rudolf Steiner). Hoje eu tenho a resposta que cabe no meu coração. Não foi por coragem que floresci e mudei toda a minha vida, foi por amor.

 

Este texto foi escrito por Cibele Calderan, mãe do João de 3 anos, criadora do Espaço Vice Versa, movimento pela vida. Saúde Holística, Nutrição Integrativa e Permacultura para Mães e Famílias com crianças de até 7 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *