5 Coisas que Todos os Pais Devem Saber!

mae_negra_g

1) O desenvolvimento do seu filho não é uma corrida.

Há um Ritmo Natural que garante o equilíbrio de todo o planeta, podemos observa-lo em coisas simples como o nascer e o por do sol, as estações do ano, etc. E por mais que o homem tente controlar o mundo, há coisas que são Naturais e dificilmente mudarão. Ao meu ver, uma das principais missões paternas é observar este ritmo NATURAL, saber que ela é o pano de fundo que guia a rotina das crianças pequenas. O Ritmo Social hoje em dia é algo oposto e distante do Ritmo Natural, saber equilibrar o ritmo da vida atual dos pais com o ritmo natural infantil é uma arte e requer muita sabedoria e paciência. Respeitar o tempo de cada criança, saber ouvir atentamente suas necessidades, abrir mão de nossas ansiedades e desejos imediatistas em prol de nossos filhos, faz com que nossa jornada seja vivida com intensidade e presença, como uma longa e constante caminhada e não como uma corrida (competitiva) na qual a única coisa que importa é o resultado final.

2) Rituais familiares fortalecem os vínculos e inspiram uma vida saudável.

Não sei se você já reparou que o único momento que existe é o Agora, ai mesmo onde você está, neste instante em que respira, isso é tudo… (além disso existe apenas ilusões mentais, vozes em sua mente que te levam ao passado e futuro, momentos nos quais você não pode atuar). Perceber a intensidade deste momento, ao lado do seu filho, é mágico e especial. As crianças pequenas já sabem disso e sinto que para manter este “estado de presença” infantil, é importante criar Rituais durante a rotina familiar… Ascender uma vela antes de dormir e contar um conto, despertar seu filho com uma canção e um beijinho, lavar as mãos e agradecer pelo alimento antes de comer, coisas simples que fazem toda a diferença para uma infância saudável e repleta de veneração pela vida como ela é.

3) “Encorajar” as crianças e não fazer por elas.

Respeitar o ritmo de cada ser é uma prova de paciência e confiança. Dar um passo de cada vez, com constância e mostrar como deve ser feito é muito mais eficaz do que fazer pela criança. Mas as vezes a correria do dia a dia, nos faz atropelar o ritmo dos pequenos… Permitir que a criança faça por ela mesma, mantendo uma postura firme, confiante e amorosa é tudo que seu filho espera de você! Afinal você também não nasceu sabendo andar ou falar, seja simplesmente um guia, um modelo digno de ser imitado e esteja ali, paciente, ao lado de quem você ama, simples assim!

4) Um sintoma é uma maneira do seu corpo te indicar que precisa de mudar algo.

Nosso corpo tem sua própria sabedoria e constantemente nos sinaliza que algo precisa mudar, por meio dos sintomas. Acontece que vivemos num mundo no qual parte da indústria farmacêutica tenta nos convencer que há algo de errado em sentir estes sintomas. Isso nos amedronta e faz com que muitas vezes não acreditemos em nossa inteligência corporal. Mas as crianças podem nos apoiar a perceber que os sintomas não são o problema. Observe uma criança com febre. A temperatura é uma simples maneira do corpo lidar com o que está acontecendo, agora o que está causando a febre é o que sim deve ser observado e levado em consideração. Coloque atenção aos outros sintomas que acompanham a febre, ao ambiente no qual a criança está inserida (aspectos, físicos, emocionais e mentais), as situações recentes que ela está passando… E amplie um pouco o olhar, não foque somente em eliminar o sintoma e sim tente perceber o ponto original da situação. Dessa maneira você poderá apoiar muito mais a quem você ama!

5) Confie em você mesmo: você é um “expert” sobre seu filho!

Uma das coisas mais importantes que trabalho com pais no consultório é o resgate da auto confiança. Pais e mães de primeira viagem esperam saber tudo sobre bebes e sentem-se como se não soubessem nada. Mas meu filho me ensinou que “não saber nada” pode ser uma excelente oportunidade de aprender a escutar minha intuição. Quando minha mente está em paz, em silêncio, presente, escuto com meu coração e percebo as reais necessidades do meu filho. Diversos estudos comprovam o poder da intuição materna. E mesmo assim muitas vezes o excesso de informações externas que chegam por livros, internet, palpiteiros de plantão, interferem em nossa habilidade de escutar a nossos filhos. Simplesmente observe seu filho. Olhe em seus olhos, sinta o ritmo de sua respiração… E se coloque neste espaço de interação profunda com este ser… que percebe o mundo sem falar, sem rotular, sem a dualidade de bem e mal, certo e errado, sem inimigos… Sinta e observe, as respostas virão, basta escutar e confiar em você!

Leia Também:

Os 5 Passos Para Superar a “Pirraça”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *