A Tenda está aberta…

O pano vermelho encobria a entrada da Tenda. Aquela porta cujo acesso era permitido somente às mulheres. Lá dentro tudo era decorado com muito carinho, panos, estátuas, incensos e velas transformavam o ambiente, tornando a experiência de estar naquele local única. Os detalhes indicavam carinho e aconchego. Lá estávamos todas reunidas, das mais jovens às anciãs. Os ensinamentos eram passados verbalmente e as trocas eram um momento especial de crescimento e proteção. Em rodas as minhas dores eram as dores de todas, as minhas alegrias eram festa em união, o individual e o coletivo se confundiam e ninguém estava sozinha. A “Tenda Vermelha” era o lugar onde as mais novas aprendiam sobre os mistérios femininos e as mais sábias ensinavam por meio de suas falas e experiências. Lá, tínhamos nossos bebês, todas juntas, numa só força, rezando, cantando, apoiando.  Ao chegar a hora da amamentação, a “Lua de Leite” era respeitada e a proteção feminina permitia que a mãe e o bebê se conectassem intensamente, sem interrupção, sem distrações, somente os dois num só corpo. Em roda conversávamos sobre as nossas sombras e as nossas luzes, não havia solidão, toda tristeza tinha uma companhia, e sempre havia um olhar carinhoso e um escutar amoroso. Uma vez por mês, quando nosso sangue chegava, nos recolhíamos na Tenda para apaziguar nosso corpo e aprender com nosso momento, respeitando nossa energia e entrando na caverna do nosso eu, era um ambiente seguro. Hoje não temos mais as “Tendas Vermelhas”, novos tempos surgiram e as reuniões de mulheres foram acabando. Não podemos mais nos recolher uma vez por mês para respeitar o nosso corpo que pede parada. A maioria de nós tem seus bebês em locais frios e na presença de poucas mulheres. Não usufruímos de paz para amamentar e conhecer a nossa cria. Há muitas interferências, poluição, pouca proteção. Estamos sozinhas em nossos lares, nas madrugadas, sem as mulheres de nossas vidas e sem a sabedoria feminina que é essencial. As dores, as sombras e as tristezas aparecem e a roda de mulheres não está mais lá, não há mais o pano vermelho indicando que aquele é um local protegido, não sabemos para onde ir. Entretanto, existe uma Tenda sendo aberta, renascendo, ressurgindo… é a Tenda Materna. Um espaço virtual de amor, carinho, acolhimento, aconchego, escuta! Aqui as tuas dores são nossas e poderemos nestes dias recriar a atmosfera sagrada das rodas de mulheres. Reviva conosco essa energia que nos empodera, essa vitalidade da união, da conexão, do auxílio. A Tenda Materna é um movimento e um espaço terapêutico em que nós mulheres/mães nos encontraremos, como no passado, e poderemos nos apoiar em nossas angústias, nossos medos e nossas aflições para juntas, seguirmos fortalecidas.

Se você sentiu o chamado te convidamos a participar do primeiro Workshop Online e Gratuito da Tenda Materna que acontecerá de 19 a 26 de agosto 2020. Para inscrições segue o link: https://escoladepais.beefamily.com.br/cadastro-workshop-tenda-materna

Este texto foi escrito por: 

Ana Blasi, Mãe da Flávia, Participante da Turma 9 do Zum Zum de Mães e apaixonada por educação e conexão.

IG @blasi_ana

E-mail: anamartens@hotmail.com  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *